Festas de São João e o profeta degolado

Destacado

Lucas 1, 57 – 66.

Nossas festas de São João têm a alegria imaginada do anúncio do nascimento de João, o Batista, por Isabel à sua prima Maria, mãe de Jesus e da festa que ambas e os vizinhos fizeram.

Uma lenda sobre a fogueira acesa sobre uma montanha por Isabel para anunciar o nascimento do filho à prima deu origem às nossas fogueiras e danças ao seu redor.

As festas em celebração à fertilidade dos frutos da terra são antigas e tomaram conta da Europa antes do cristianismo. A Igreja de Roma tentou eliminá-las, não conseguindo as absorveu pelas liturgias cristãs.

Nosso evangelho deste domingo, 24/06/18, mostra a mudez de Zacarias pelo impacto da apresentação de seu filho João com 8 dias no templo.

Zacarias representa a profecia calada entre os dois testamentos, agora revigorada com o novo sentido da aliança que começa em Jesus.

Como sacerdote do templo,  Zacarias simboliza o culto mecânico e sem compromisso com o povo massacrado pelo império romano e pela traição do sacerdócio e dos profetas.

João viverá profunda experiência com os essênios e com eles aprenderá a “lei” da partilha e da socialização dos bens da terra, que mais do que as festas são essenciais à vida comunitária de todos.

João foi assassinado a mando de Herodes por causa desse compromisso com a vida.

Acesse o vídeo abaixo, curta, acione o sininho e  compartilhe.

Abraços.

Anúncios

O Reino de Jesus cresce em silêncio no mundo inteiro

Destacado

O evangelho de Marcos foi experimentado e escrito pela comunidade dos cristãos em Roma no ano 71 de nossa era.

No contexto escravocrata de profundas e desumanas injustiças, sobre cujo sistema econômico se erguia o império explorador, crescia em silêncio a comunidade dos cristãos.

Contraditório a Roma poderosa e desumana o pequeno grupo de seguidores de Jesus detonava o sistema ao acolher escravos e, esporadicamente, senhores que se convertiam e abandonavam o sistema por vê-lo em contradição gritante com o que Jesus ensinou e com o que os cristãos viviam na partilha dos pães e da solidariedade.

A inspiração desses cristãos perseguidos por Nero, acusados de incendiar Roma, vinha da experiência do pequenino grupo de Jesus na Galileia, que acolhia pescadores, camponeses, publicanos, mulheres, doentes e todos os excluídos pelo judaísmo farisaico.

A parábola do homem que semeia na terra e depois aguarda os frutos, sem saber o que acontece, ensina que esta é a missão dos cristãos que jogam as sementes do Reino e aguardam a colheita que será feita por Jesus.

Na parábola da mostarda vê-se a comparação com o Reino que começa como semente pequena e cresce frondosamente para acolher e abrigar com paz a todos que a ele se integram, tornando-se também semeadores.

O objetivo do Reino proposto por Jesus é a paz como a sombra da mostarda, que acolhe os pássaros e os passantes cansados.

Muitos, como os romanos e como os judeus fariseus, não reconhecem os sinais do Reino nem mesmo Jesus como messias em quem o Reino se realiza, porque seus sistemas de vida os cega, como aconteceu aos césares e aos fariseus.

Acesse o vídeo abaixo, curta, inscreva-se no canal, acione o sininho e compartilhe.

 

Familiares de Jesus e religiosos o acusaram de ser possuído pelo deus dos estercos!

Destacado

Evangelho de Marcos do dia 10/06/18.

O evangelho de Marcos trabalha com a pergunta da comunidade: quem é Jesus?

Familiares de Jesus e os religiosos diziam que ele era louco e possuído por Belzebu, o deus dos estercos e senhor das moscas.

Mas a comunidade de São Marcos o via como messias dos pobres, a quem ele chamava de irmãos, irmãs e mãe. A eles Jesus definiu como sua a família, liberta da noção estreita de clã e reduto consanguíneo.

Acesse o vídeo baixo, curta, se inscreva no canal, acione o sininho e compartilhe.

 

Jesus come, cura no sábado e enfrenta o conflito de classes

Imagem

Evangelho do dia 03/06/18 – Marcos 2, 23 – 3, 6.

É libertador olhar para este Jesus retratado por São Marcos.

  1. Jesus na lavoura de trigo se conflita com os interesses dominantes representados pelos fariseus defensores da lei como dogma opressor e pelo partido herodiano, ponta de lança do império romano dominador.

Jesus defende o direito da alimentação, mesmo que seja no sábado, porque o ser humano está acima das leis sequestradas para oprimir.

  1. Acima da lei porque esta dever servir ao ser humano para proteger seu direito a se alimentar e a ser curado.

Alimentação e cura são valores integrantes da salvação libertadora, porque o ser humano é integral e não departamentalizado.

  1. Ao ser Senhor do sábado Jesus se contrapõe aos senhores do mundo opressor, que se acham donos no uso da lei para impedir que as pessoas se alimentem e se curem.

O senhorio de Jesus é a inclusão das pessoas para serem também senhoras da vida  no uso da lei como conteúdo da justiça e do bem.

Acesse o vídeo abaixo, curta, acione o sininho, compartilhe e visite http://cartasprofeticas.org

Quer viver sua fé numa igreja comprometida com Jesus e com os oprimidos?

Destacado

“Vós me chamais Mestre e Senhor, e dizeis bem, porque eu o sou. Logo, se eu, vosso Senhor e Mestre, vos lavei os pés, também vós deveis lavar-vos os pés uns aos outros. Dei-vos o exemplo para que, como eu vos fiz, assim façais também vós. Em verdade, em verdade vos digo: o servo não é maior do que o seu Senhor, nem o enviado é maior do que aquele que o enviou. Se compreenderdes estas coisas, sereis felizes, sob condição de as praticardes” (João, 13, 13 – 17).

Esta igreja verte-se na tradição de Jesus segundo os evangelhos, fundamenta-se nas bases históricas do catolicismo como universalidade da experiência de Jesus e dos profetas na denúncia dos pecados econômicos, políticos e sociais e na comunhão anglicana enquanto vivência absolutamente respeitosa, colocando-se no lugar e ao lado do outro enquanto ser construído culturalmente e de inesgotáveis sabedorias.

Tomamos a experiência profética na perspectiva do Novo Testamento  também como quem caminha na realização das sementes e valores do Reino implantado por Jesus.

Neste sentido, nossa vocação é para a comunhão profunda como comunidade orgânica que se ama, se respeita, se solidariza, se apoia e acolhe com profunda fraternidade a todos e a todas quantos/as aspiram um mundo sinalizado pelo amor que Jesus viveu e ensinou.

Quer ser eclesiano – membro – ministro/a leigo/a nesta igreja em qualquer parte do mundo?

Quer ser sacerdote ou sacerdotisa, bispo/a nesta igreja e ajudar na missão centrada e mobilizada  no projeto de Jesus?

Nesta igreja nos engajamos num processo de conversão dos males do capitalismo, notadamente expressos pelo egoísmo concentrador de riquezas e de renda, pelo fundamentalismo e pelo fascismo, como males atrozes na prática de intolerância diabólica, do individualismo, do personalismo, da concorrência fraticida feitas por decisões tomadas em organizações subterrâneas e historicamente inimigas da justiça social e da paz fraterna.

Para nós os sacramentos são sinalizações da graça de Deus e dos mistérios da salvação libertadora de Jesus e não produtos comerciais vendidos no mercado religioso neoliberal.

Se você deseja ardentemente participar desse projeto eclesiológico aí na sua comunidade, em qualquer parte do mundo, notadamente no Brasil e na América Latina, ambos abalados pelos danos do imperialismo internacional, a besta apocalíptica de hoje,  contate-nos (domorvandil@gmail.com ou pelo what’s app: 62 – 9.9141 – 6655).

Com nossas bênçãos apostólicas em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo,

++Dom Orvandil, Arcebispo Primaz.

Autoridade de Jesus após o fracasso na cruz

Destacado

Comentário do Evangelho de Mateus 28, 16 – 20, Santíssima Trindade.

Autoridade de Jesus após o “fracasso”  na cruz

Notificação

Destacado

“…  Se vocês guardarem a minha palavra, vocês de fato serão meus discípulos; conhecerão a verdade e a verdade libertará vocês” ( Jo 8, 32). 

 

A Câmara Episcopal e Arcebispado Primaz da Igreja Católica Anglicana comunicam a todas as pessoas que lerem esta nota que os Bispos Dom Altamiro Pereira do Amaral, Dom Jorge dos Santos Costa e Dom Ricardo Vicente dos Anjos não mais integram esta Mitra Primacial.

As Dioceses Católicas Anglicanas de Belém e da Santa Cruz de Salvador, responsável pelo Nordeste, até nova orientação coletiva da Câmara Episcopal, por ora ambas são de responsabilidade do Arcebispo Primaz. A Diocese de Mato Grosso do Sul é extinta e reintegrada à Diocese Católica Anglicana do Centro Oeste.

Os bispos supramencionados e os que os acompanham,  excardinados, não dispõem mais do direito de celebrar, batizar, crismar, sepultar ou praticar quaisquer atos em nome da Igreja Católica Anglicana, parcial ou totalmente, nem seus cânones, parcial ou totalmente, doutrina nem as decisões dos Sínodos também parcial ou totalmente nem a denominação parcial ou totalmente,  sob as penas da lei.

Outrossim, comunicamos que a Igreja Católica Anglicana segue fiel aos Cânones e às soberanas decisões de seus Sínodos, com o povo como sujeito da Igreja como deveria ser na sociedade,  e à sua “opção preferencial pelos pobres” na perspectiva profética de denúncia de todas as injustiças impostas milenarmente no mundo e secularmente no Brasil e na América Latina.

A Igreja Católica Anglicana não compactua jamais com atitudes escusas nem com articulações com organizações subterrâneas que ajudam a sustentar o capitalismo desumano, opressor, desagregador, predatório da justiça, da comunhão coletiva, da democracia e da soberania dos povos e das nações.

Nesta conjuntura de trevas, no Brasil sob o terrível golpe de Estado que avança avassalador, ameaçando toda a  América Latina, com danos diabólicos sobre os/as trabalhadores/as e os/as pobres, que já gemem e morrem feitos escombros com suas carnes expostas aos corvos ávidos de nossos riquezas, a Igreja Católica Anglicana repudia intransigentemente todas as maledicências para destruir imagens de bispos, clérigos,  leigos/as, comunidades e a toda a Igreja fielmente comprometidos/as com Jesus de Nazaré, que sempre condenou o ódio, a ganância, a avareza e as injustiças.

Reafirmamos nosso dom e vocação proféticos, arraigados na ampla participação do clero e dos/as leigos/as nas decisões da Igreja, com ojeriza ao espírito de casta clericalista, sempre sedento de poder, de prestígio e de dinheiro a quaisquer custos.

Reiteramos a nossa fé em Jesus e não em messias corruptos, aliados dos poderosos, gangster, sem negociação de espécie alguma sob pena de heresia,  mantendo-nos seguros de que optamos pelo Reino de compaixão, de justiça e de paz que nosso Senhor Jesus Cristo inaugurou com seu nascimento, ministério, sacrifício na cruz e na ressurreição.

Nestes pressupostos se fundam a nossa fé.

A todas as pessoas que lerem esta nota rogamos a bênção apostólica em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo.

Goiânia, 24 de maio de 2018 do ano da graça de Nosso Senhor Jesus Cristo.

++Dom Orvandil Moreira Barbosa, Arcebispo Primaz.

Vigiar é agir e orar no e pelo mundo

Destacado

Clique  para acessar o comentário do Evangelho do primeiro domingo do advento de 2017 (03/12/17); Marcos 13, 33 – 37.

Vigiai e orai

 

Acesse a página “Reflexões evangélicas” para ver comentários do evangelho

Destacado

O juízo final como projeto de vida. 

Igreja preguiçosa?

Destacado

É honesto, desde a lógica da fé, perguntar-nos se temos sido responsáveis e coerentes na missão confiada a nós por Jesus em sua Páscoa-Pentecostes.

Mais que herdeiros da missão de Jesus, somos os primeiros responsáveis por levar a termo o que compreende o projeto de Deus para o mundo e a humanidade.
Mais que herdeiros da missão de Jesus, somos os primeiros responsáveis por levar a termo o que compreende o projeto de Deus para o mundo e a humanidade. (Reprodução/ Pixabay). Continuar lendo

Bispos denunciam e anunciam: “Manifesto à Nação Brasileira”

Destacado

“Eis-me aqui, Senhor, envia-me a mim” (Isaías 6, 8).  

Nós bispos da Igreja Católica Anglicana passamos três dias juntos em oração  e em reflexão sobre a vontade de Deus para o Brasil e para o nosso povo, reunidos em Sínodo Nacional em Cametá, Pará, de 09 – 12 de novembro  de 2017,  com trabalhadores das águas, das matas, dos campos e da cidade, muitos e muitas da academia como educadores/as e educandos/as, muitos/as quilombolas, negros, negras e ameríndios/as perseguidos/as por ruralistas e grileiros gananciosos, vimos à Nação Brasileira nos manifestar: Continuar lendo

Convocação  do II º Sínodo da Igreja Católica Anglicana

Destacado

Em conformidade com o artigo 28º dos Cânones da Igreja Católica Anglicana, registrados em cartório,  que dispõe sobre o Sínodo Primacial, convoco os Bispos, membros  da Câmara Episcopal, delegados clérigos, delegados leigos, os membros do Supremo Tribunal Eclesiástico e do Conselho Executivo Administrativo Primacial para a reunião sinodal da Igreja Católica a realizar-se na cidade de Cametá, Estado do Pará dos dias 09 a 12 de novembro  conforme programação abaixo.

Goiânia, 09 de outubro de 2017.

++Dom Orvandil Moreira Barbosa – Arcebispo Primaz.

Continuar lendo

Maria canta a derrubada dos poderosos e a elevação dos humildes

Destacado

Comentário do Evangelho de Lucas 1, 46-56 (20/08/17)

 

 

Em breve manifesto da Câmara Episcopal à Nação

Destacado

Em face da angustiante crise nacional brasileira, que abala as bases econômicas, políticas, culturais, éticas e religiosas de nosso povo em breve a Câmara Episcopal da ICA publicará manifesto à Nação.

Diocese Centro Oeste

Destacado

Bispo Dom Orvandil Moreira Barbosa

Clique aqui para acessar o  site da diocese

Diocese do Baixo Tocantins

Bispo:

+Dom Franciney Pantoja.